quarta-feira, setembro 15, 2004

Paris, 1944-02

O General Desobedeceu e Paris Não Ardeu...
Quarta-feira, 25 de Agosto de 2004

A 23 de Agosto de 1944, o quartel-general de Hitler transmite uma ordem secreta ao comandante da "Gross Paris" (grande Paris), o general Dietrich von Choltitz: "A defesa da cabeça-de-ponte de Paris é de uma importância vital no plano militar e político.

Ao longo da história, a perda de Paris arrastou sempre a perda de toda a França... A destruição das pontes do Sena será preparada. Paris não deve cair nas mãos do inimigo, ou o inimigo não deve encontrar outra coisa senão um campo de ruínas."

Von Choltitz tinha sido nomeado comandante da "Gross Paris" a 7 de Agosto. O general de 49 anos tem a reputação de ser um militar cruel.

Foi ele que conquistou a fogo e a sangue Roterdão e Sebastopol. E terá sido um dos raros oficiais da Wehrmacht (exército alemão) a nunca ter contestado uma ordem do Führer. Mas, neste mês de Agosto de 1944, a Wehrmacht sofre derrota atrás de derrota.

Os desembarques aliados na Normandia e na Provença obrigam as linhas a alemãs a recuar, a frente de Leste foi um desastre, com a resistência dos russos, e um grupo de oficiais tentou assassinar Hitler, em Berlim.

Von Choltitz vai multiplicar, brutalmente, as execuções sumárias de resistentes em Paris. Mas, por razões que nunca esclareceu - medo de represálias aliadas? Recusa de ser considerado como um criminoso de guerra? Efectivos militares insuficientes? Vontade de não pôr a saque a "mais bela cidade do mundo"? - o general von Choltitz desobedeceu, pela única vez da sua vida, a uma ordem. E Paris não ardeu. A.N.P., Paris